MORDOMIA CRISTÃ DOS DONS OU TALENTOS - Mt. 25:14-29


INTRODUÇÃO

Todos podem ser úteis na obra de Deus, pois Ele concedeu dons para todas as suas criaturas. Não há um só homem que não os tenha recebido. Ele os entregou, mesmo sabendo que poderíamos falhar na administração dos mesmos, confiou em nós e espera que sejamos Fiéis.

É importante ter consciência de que dom, ainda que seja único, é algo muito precioso, e não pode ser desperdiçado, pelo contrario, deve ser bem administrado por seu proprietário.

O que temos feito com os talentos que Deus nos concedeu?
Temos sido servos Fiéis?
Estamos preparados para o dia da prestação de contas?

A DISTRIBUIÇÃO DOS TALENTOS – (V. 14-15).

O que era Talento? O talento era uma moeda de muito valor. Um talento equivalia a alguns milhares de denários, e um denário era a remuneração diária de um trabalhador (Mt. 20:2).
Esses talentos representam habilidades naturais ou espirituais, tempo, recursos e oportunidades que cada pessoa recebe de Deus para utiliza-los em seu serviço.

O dono dos talentos

A parábola fala de “um homem” rico, possuidor de muitos bens (talentos), o qual ao sair de sua terra convocou seus “servos” (trabalhadores) e deu-lhes a oportunidade de trabalharem com os “bens” a eles distribuídos.

A Parábola indica que Jesus Cristo é aquele Senhor, o qual nos tem dado talentos para trabalharmos para Ele. Ele é o homem que “ausentou-se da sua terra” por um pouco de tempo, para quando voltar, receber o fruto dos talentos entregues a seus servos.

Jo. 13:13 à VÓS ME CHAMAIS O MESTRE E O SENHOR E DIZEIS BEM; PORQUE EU O SOU.

I Co. 8:6 à PORÉM PARA NÓS EXISTE SOMENTE UM DEUS, O PAI E CRIADOR DE TODAS AS COISAS, PARA QUEM NÓS VIVEMOS. E EXISTE SOMENTE UM SENHOR, QUE É JESUS CRISTO, POR MEIO DE QUEM TODAS AS COISAS FORAM CRIADAS E POR MEIO DE QUE NÓS EXISTIMOS.

Jesus, depois de sua ascensão viajou para longe. Ao retornar para o céu, Ele deixou a sua Igreja equipada, concedendo seus bens para serem negociados.

Ef. 4:8 à COMO DIZEM AS ESCRITURAS SAGRADAS: QUANDO ELE SUBIU AOS LUGARES MAIS ALTOS LEVOU CONSIGO MUITOS PRISIONEIROS E DEU DONS ÀS PESSOAS.

Jo. 20:21 à ENTÃO JESUS DISE DE NOVO: QUE A PAZ ESTEJA COM VOCÊS! ASSIM COMO O PAI ME ENVIOU, EU TAMBEM ENVIO A VOCÊS.

Dele nos vem tudo para que o sirvamos segundo a sua vontade, não a nossa. Os servos não foram escolhidos em função de já possuírem algum talento.

A distribuição dos talentos

O Senhor repartiu os talentos de forma proporcional à capacidade de cada um para negociar, a fim de que cada servo pudesse ser bem sucedido em suas atividades.

Não se trata de algum tipo de discriminação, mas da potencialidade individual, espiritual e comum de cada crente para servir. O importante é que todos desempenhem satisfatoriamente os seus trabalhos e desenvolvam suas aptidões (habilidade ou capacidade resultante de conhecimentos adquiridos) na obra de Deus.

Os servos são mordomos a serviço do seu Senhor; os bens são talentos que foram entregues para administração ou cuidado. Essa é a MORDOMIA DOS TALENTOS.

Para um, deu cinco talentos; a outro deu dois e ao derradeiro, um. Cada um dos talentos foram distribuídos segundo a sua capacidade.

Somente Deus conhece a nossa capacidade de administrar; mas, seja qual for, ou quantos são os talentos, se Deus como Senhor entrega-os para os cristãos como seus servos, é preciso cuidar deles com ZELO, com PERSISTÊNCIA e PERSEVERANÇA.

Não pode haver espaço para invejas, ciúmes, porfias (discussão ou contenda de palavras; polêmica) típicas de pessoas carnais. (Gl. 5:19-21).

AS GRANDES LIÇOES DA PARÁBOLA

As grandes verdades desta parábola têm a ver com o caráter dos servos. Os talentos não são para serem escondidos, mas, sim, administrados. Aqui está o sentido real da MORDOMIA CRISTÃ. Quem tem talentos e não os usa, logo estará sem nenhum:

Mt. 25:29 à PORQUE A TODO O QUE TEM SE LHE DARÁ, E TERÁ EM ABUNDANCIA; MAS AO QUE NÃO TEM, ATÉ O QUE TEM LHE SERÁ TIRADO.

Acerca dos dons espirituais e a sua MORDOMIA, é preciso esclarecer que eles são manifestações do Espírito Santo na vida do cristão. O Espírito Santo, como realizador da obra de Deus na Terra, distribui como lhe apraz a cada um, visando a um fim proveitoso (I Co. 12:7). Os dons são nove (I Co. 12:8-10).

Assim como na parábola dos talentos, também os dons espirituais são administrados por aqueles que o possuem. Não fazendo dessa forma, o dom será tirado e dado a outro.

Os dons espirituais não são de propriedade humana. Somos apenas servos administradores, ou seja, MORDOMOS NA CASA DE DEUS.

A Fidelidade

Tudo o que aquele Senhor esperava de seus servos era que fossem FIÉIS no cumprimento de suas atividades até que ele voltasse. Ele requer dos seus servos um serviço eficiente.

I Co. 4:2 à O QUE SE EXIGE DE QUEM TEM ESSA RESPONSABILIDADE É QUE SEJA FIEL AO SEU SENHOR

Lc. 16:10 à QUEM É FIEL NAS COISAS PEQUENAS TAMBÉM SERÁ NAS GRANDES; E QUEM É DESONESTO NAS COISAS PEQUENAS SERÁ NAS GRANDES.

O segredo da Fidelidade é a dedicação do coração, alma e mente à Obra. Mas devem os seguidores de Cristo dizer isto deles mesmos?

Lc. 17:10 à ASSIM DEVE SER COM VOCÊS. DEPOIS DE FAZEREM TUDO O QUE FOI MANDADO, DIGAM: SOMOS EMPREGADOS QUE NÃO VALEM NADA PORQUE FIZEMOS SOMENTE O NOSSO DEVER.

Mt. 25:21 à “... SOBRE O POUCO FOSTE FIEL, SOBRE MUITO TE COLOCAREI...”. A recompensa do serviço fiel é mais serviço, numa esfera de influência bem maior. Deus testa as pessoas em coisas pequenas para sabe-las se são dignas de confiança nos empreendimentos maiores.

Diligência

O que é diligência? à Nos serviço, é cuidados, zelo, dedicação, dinamismo, atenção, esmero e amor.

Os servos que receberam “cinco e dois talentos” trabalharam com cuidado e com aplicação até poderem multiplicar os bens de seu Senhor.

A MORDOMIA CRISTÃ repudia a ociosidade (estado de quem gasta o tempo inutilmente; inatividade; preguiça). A Bíblia diz que:

Pv. 13:4 à A ALMA DO PREGUIÇOSO DESEJA E COISA NENHUMA ALCANÇA; MAS A ALMA DOS DILIGENTES ENGORDA.

A MORDOMIA REQUER PRESTAÇÃO DE CONTAS

Enfim, o crente terá que prestar contas da sua fidelidade ou infidelidade a Deus e das suas práticas e ações, tendo em vista a graça, a oportunidade e o conhecimento que recebeu.

Lc. 12:48 à AQUELE, PORÉM, QUE NÃO SOUBE A VONTADE DO SEU SENHOR E FEZ COISAS DIGNAS DE REPROVAÇÃO LEVARÁ POUCOS AÇOITES. MAS AQUELE A QUEM MUITO FOI DADO, MUITO LHE SERÁ EXIGIDO; E AQUELE A QUEM MUITO SE CONFIA, MUITO MAIS LHE PEDIRÃO.

As más ações do crente, quando ele se arrepende, são perdoadas no que diz a respeito ao castigo eterno, mas são levadas em conta quanto à sua recompensa:

Cl. 3:25 à POIS AQUELE QUE FAZ INJUSTIÇA RECEBERÁ EM TROCO A INJUSTIÇA FEITA; E NISTO NÃO HÁ ACEPÇÃO DE PESSOAS.

As boas ações e o amor do crente são lembrados por Deus e por Ele recompensados:

Hb. 6:10 à DEUS NÃO É INJUSTO. ELE NÃO ESQUECE O TRABALHO QUE VOCÊS FIZERAM NEM O AMOR QUE LHE MOSTRARAM NA AJUDA QUE DERAM E AINDA ESTÃO DANDO AOS SEUS IRMÃOS NA FÉ.

No ajuste de contas, quanto ao seu serviço suas obras, os servos de cristo comparecerão diante do Tribunal de Cristo (Corte de justiça retributiva que, tendo Cristo por presidente, ocupar-se-à do julgamento dos santos quanto ao serviço divino) após o arrebatamento da Igreja.

II Co. 5:10 à PORQUE TODOS NÓS TEMOS DE NOS APRESENTAR DIANTE DE CRISTO PARA SERMOS JULGADOS POR ELE. E CADA UM VAI RECEBER O QUE MERECE, DE ACORDO COM O QUE FEZ DE BOM OU MAU NA SUA VIDA AQUI NA TERRA.

Todos crentes salvos hão de comparecer diante desse tribunal onde suas obras serão julgadas e recompensadas. Trata-se do que fizeram (ou não fizeram) para o Senhor enquanto viveram na terra.

I Co. 3:12-15 à ALGUNS USAM OURO OU PRATA OU PEDRAS PRECIOSAS PARA CONSTRUÍREM EM CIMA DO ALICERCE. E AINDA OUTROS USAM MADEIRA OU CAPIM OU PALHA. - O DIA DE CRISTO VAI MOSTRAR CLARAMENTE A QUALIDADE DO TRABALHO DE CADA UM. POIS O FOGO DAQUELE DIA MOSTRARÁ O TRABALHO DE CADA PESSOA: O FOGO VAI MOSTRAR E PROVAR A VERDADEIRA QUALIDADE DO TRABALHO. - SE AQUILO QUE ALGUEM CONSTRUIR EM CIMA DO ALICERCE RESISTIR AO FOGO, ENTÃO O CONSTRUTOR RECEBERÁ A RECONPENSA. - MAS, SE O TRABALHO DE ALGUEM FOR DESTRUIDO PELO FOGO, ENTÃO ESSE CONSTRUTOR PERDERÁ A RECOMPENSA. POREM ELE MESMO SERÁ SALVO, COMO SE TIVESSE PASSADO PELO FOGO PARA SE SALVAR.

Quanto aos infiéis, os injustos, eles comparecerão perante o Senhor para julgamento, somente no Juízo Final (Mt. 25:24-25).

CONCLUSÃO

Cuidemos de, na força do Senhor, fazermos o melhor para Deus, e ele nos recompensará com o justo galardão.

POSTAGEM MAIS ACESSADAS:

O OBREIRO E A ÉTICA NO PULPITO

O TABERNÁCULO E SUAS MEDIDAS:

EXISTEM 4 TIPOS DE TEMPERAMENTOS! VOCÊ CONHECE SEU TEMPERAMENTO?

PASSOS DA FÉ - Marcos 11:22 - 24

AGEU - O PROFETA DA CONSTRUÇÃO DO TEMPLO