FAMÍLIA CRISTÃ: DIVÓRCIO E NOVO CASAMENTO

www.prnatanaelsp.com.br

A excessiva liberdade, o abuso da intimidade, o combate das moças ao que chamam “o tabu da virgindade”; as provocações sexuais através das roupas, que não vestem, atendem as expectativas da lascívia dos exploradores e representam o caminho mais perto para a prostituição das meninas incautas, favorecendo o aparecimento de um grande número de mães solteiras, despreparadas para tudo.

Essa situação, aliada à problemática dos casamentos contraídos por mera cobiça carnal e dos lares que perderam a sua identidade, tornou-se um inferno para as crianças, tendo como saldo o que todos podem ver: um mundo ameaçado por uma incontida onde de milhões adolescentes, jovens e até crianças delinquentes.

O casamento nos padrões bíblicos foi estabelecido por Deus para evitar essa situação calamitosa. Em contrapartida, forças diabólicas se empenham influenciando as culturas mundiais e unindo-as em combate ao casamento e à família.

A Bíblia Sagrada registra a criação da primeira família, que se iniciou com Adão e Eva. Através da Palavra, nos é revelado que em virtude do valor da família no plano de Deus, quanto à moral e à santidade da raça humana, ela tornou-se alvo de tremendo ataque satânico. 

Por isso, a família merece cuidado das autoridades, de todas as pessoas sábias e criteriosas e de quantos temem a Deus e são capazes de se empenhar pelo seu equilíbrio e preservação.

O QUE É FAMÍLIA?

A Família não é um grupo de pessoas rivais, alheias aos interesses umas das outras. É o conjunto de todas as pessoas que vivem sob o mesmo teto, proteção ou dependência do dono da casa ou chefe, que visam ao bem-estar do lar; que se amam e se ajudam.

O QUE É O CASAMENTO?

É a única instituição terrena que teve inicio antes da entrada do pecado no mundo; antes da raça humana ser contagiada pela concupiscência da carne, pela concupiscência dos olhos e soberba da vida. (Gn. 2:18; 21-24 / I Jo. 2:15-17).

O casamento deve ser estabelecido no amor, respeito, união e companheirismo existente entre Cristo e sua Igreja. (Ef. 5:33).

O Casamento é por conseqüência, a família, são uma idéia Divina. Foi Deus quem planejou e instituiu a família.

DIVÓRCIO E NOVO CASAMENTO:

Gn. 2:24 - PORTANTO DEIXARÁ O HOMEM O SEU PAI E A SUA MÃE, E UNIR-SE-Á À SUA MULHER, E SERÃO UMA SÓ CARNE”.

Mt. 10:9 - PORQUANTO O QUE DEUS AJUNTOU, NÃO O SEPARE O HOMEM.

DISPOSIÇÕES BÍBLICAS:

O que a Bíblia diz sobre o casamento:

O Casamento é uma união permanente, um pacto público de um homem com uma mulher. Pv. 2:17; Ml. 2:14, Gn. 2:24.

Com base em Mateus 19:9, podemos afirmar:

a) Deus espera que o casamento seja permanente e que haja fidelidade entre os cônjuges.

b) O divorcio é permitido quando um dos cônjuges comete adultério.

c) O casamento só pode ser desfeito, se não pela morte de um dos cônjuges, mediante adultério e então divorcio.

d) A pessoa divorciada pode ser, em alguns casos, inocente.

e) O Ensino de Jesus: Ele fala respondendo aos fariseus: Mt. 19:1-9 e Mc. 10:1-12. Nestes dois textos Jesus aponta para um elemento comum, que é claramente colocado: que o casamento seja duradouro, dissolvendo-se apenas com a morte de um dos cônjuges.

f) O Ensino de Paulo: O principal documento de Paulo sobre o assunto está em I Coríntios 7, quando ele orienta a Igreja em Corinto acerca de algumas questões sobre o casamento e divórcio, colocamos em foco os versos 1 a 15. Nos vs. 10-11, ele coloca a opção de separação sem segundo casamento ou a de reconciliação. No v.15, se o cônjuge não é cristão, ele permite “que se separe” para não submete-lo a servidão, neste caso o cristão tem a permissão para separar-se e casar-se novamente, no Senhor. No entanto, a iniciativa da separação, deve ser da parte do não crente.

Algumas considerações ainda sobre I Coríntios 7:10-16.

a) Duas pessoas convertidas nunca devem considerar uma separação.

b) A graça e o perdão de Deus providenciam meios para reconciliação e restauração.

c) Se, ocorrer separação e divórcio entre duas pessoas crentes, o novo casamento é sempre errado.

d) O cônjuge cristão deve ser sempre fiel ao cônjuge não cristão, e nunca deve iniciar o processo de divorcio.

e) O não cristão é santificado pelo cristão.

f) Se o não cristão quer divorciar-se, o cristão deve sentir paz.

g) O cônjuge cristão que foi abandonado, uma vez divorciado, está livre no Senhor para casar-se outra vez.

h) A decisão mais correta é permanecer solteiro após o divorcio, porém ele não peca se casar novamente.

CONSIDERAÇÕES GERAIS:

a) Entendemos que o divorcio é contra a vontade de Deus, portanto é pecado.

b) Entendemos que o novo casamento, só em caso de morte de um dos cônjuges.

c) Entendemos que o casamento que Deus realiza, o homem não pode separar.

d) Entendemos que o divórcio traz sérios problemas emocionais e espirituais ao cônjuge, sua família e à Igreja.

POREM CONSIDERAMOS AINDA...

a) Que Deus condena o pecado, porém mediante ao arrependimento, pela sua graça restaura vidas e reabilita pessoas.

b) Que atualmente, a maioria das Igrejas admitem em seu rol divorciados e casais em segundo casamento.

c) Que existem pastores em pleno exercício do ministério pastoral em seu segundo casamento.

d) Que não temos base bíblica para negar a membresia a um divorciado ou casado pela segunda vez.

e) Que o divorcio em si mesmo não é um pecado imperdoável, quando seguido de arrependimento sincero (I Jo. 2:1), porém, podemos afirmar que o pecado da pessoa divorciada e casada novamente traz serias conseqüências.

f) Que cada crente dará contas de si mesmo a Deus.

PROPOSTAS:

1. Que a Igreja continue a crer e pregar que o casamento é monogâmico e duradouro até a morte.

2. Que a Igreja esteja atenta à vida de seus casais para dar total acompanhamento àqueles em Crise conjugal.

3. Que a Igreja estimule e celebre a união conjugal por todos os meios possíveis.

4. Que haja curso preparatório para noivos e que a prática do curso de noivos seja sempre indispensável a todos os jovens noivos da igreja.

5. Que a Igreja seja sempre contraria a pratica do divorcio e do segundo casamento.

6. Que a pessoas seja levada a pedir o perdão de Deus.

Ef. 4:15, 29-32 – ANTES, FALANDO A VERDADE COM AMOR, CRESÇAMOS EM TUDO NAQUELE QUE É CABEÇA, CRISTO. – (29) NENHUMA PALAVRA TORPE SAIA DA BOCA DE VOCÊS, MAS APENAS A QUE FOI ÚTIL PARA EDIFICAR OS OUTROS, CONFORME A NECESSIDADE, PARA QUE CONCEDA GRAÇA AOS QUE A OUVEM. – (30) NÃO ENTRISTEÇAM O ESPÍRITO SANDE DE DEUS, COM O QUAL VOCÊS FORAM SELADOS PARA O DIA DA REDENÇÃO. – (31) LIVREM-SE DE TODA AMARGURA, INDIGINAÇÃO E IRA, GRITARIA E CALUNIA, BEM COMO DE TODA MALDADE. – (32) SEJAM BONDOSOS E COMPASSIVOS UNS PARA COM OS OUTROS, PERDOANDO-SE MUTUALMENTE, ASSIM COMO DEUS OS PERDOOU EM CRISTO. 

Tg. 4:7, 8 - “Submetam-se a Deus. Resistam ao Diabo, e ele fugirá de vocês. Aproximem-se de Deus, e ele se aproximará de vocês! Pecadores, limpem as mãos, e vocês, que têm a mente dividida, purifiquem o coração.”

POSTAGEM MAIS ACESSADAS:

O OBREIRO E A ÉTICA NO PULPITO

EXISTEM 4 TIPOS DE TEMPERAMENTOS! VOCÊ CONHECE SEU TEMPERAMENTO?

O TABERNÁCULO E SUAS MEDIDAS:

AGEU - O PROFETA DA CONSTRUÇÃO DO TEMPLO

PASSOS DA FÉ - Marcos 11:22 - 24