O SILÊNCIO DE DEUS!



Salmo 13:1 - ATÉ QUANDO TE ESQUECERÁS DE MIM, SENHOR? PARA SEMPRE? ATÉ QUANDO ESCONDERÁS DE MIM O TEU ROSTO?

Salmo 83:1 – “Ó DEUS, NÃO ESTEJAS EM SILÊNCIO; NÃO TE CALES, NEM TE AQUIETES, Ó DEUS”.

INTRODUÇÃO:

Quando alguém se silencia é porque alguma coisa aconteceu, será que Deus pode ficar em silêncio será que o silêncio de Deus não quer dizer algo para nós? Ouvir o silêncio de Deus? Como isso é possível? Como posso ouvir alguém que parece esta em silêncio? Não se esqueça de que servimos ao Deus do impossível e agir e falar no silêncio é também uma das especialidades dele. Saiba que Deus ouve e atende sim de imediato, ele é também o Senhor do de repente, das causas urgentes. O que temos que fazer é aprender a ouvir e ver o agir de Deus e acreditar na vitória.

Falo com propriedade e com experiência própria, pois em inúmeras vezes eu vi Deus agir assim na minha vida. Esperava que ele me respondesse na hora e ele respondia sim, mas eu não conseguia ouvir. Tempos mais tarde é que eu consegui entender que naquele silêncio tinha resposta e resposta poderosa. Já chorei em situações em que percebi que Deus mesmo em silencio agia na minha vida e a situação sempre se resolvia da melhor forma para mim.

Quando você tem orado muito - e não tem uma resposta isso é silêncio de Deus.

Sl. 102:17 - ELE ATENDERÁ À ORAÇÃO DO DESAMPARADO, E NÃO DESPREZARÁ A SUA ORAÇÃO.

Fp. 4:6 -  NÃO ESTEJAIS INQUIETOS POR COISA ALGUMA; ANTES AS VOSSAS PETIÇÕES SEJAM EM TUDO CONHECIDAS DIANTE DE DEUS PELA ORAÇÃO E SÚPLICA, COM AÇÃO DE GRAÇAS.

Às vezes derramamos nossa vida em pranto e Ele se cala ( faz silêncio ) A resposta não chega .

Quando você é provado - na moinha é duro de entender o silenciar de Deus, sofrimento, desespero, lutas que parece não ter fim e Deus em silêncio, você pergunta Ele não responde faz SILÊNCIO:

O seu Silêncio doí
O seu silêncio faz Moer
O seu Silêncio prova
O seu Silêncio machuca
O seu Silêncio traz angustia
O seu Silêncio fere

Quando oramos e pedimos a com fé e confiamos nele de todo coração, no mesmo momento ele responde. Muitas vezes você percebe de imediato o seu agir, outras vezes você não consegue ouvir a resposta, mas ela já foi proferida e cabe a você continuar orando para que não aconteça contigo como aconteceu com Daniel (Dn. 10)

Lembra das bênçãos de Daniel? Ele havia orado para Deus e aguardava a bênção chegar.  No entanto Senhor já havia ouvido suas palavras e liberado a sua bênção. Porém ela foi retida pela ação do inimigo e o Senhor enviou o arcanjo para que a resposta chegasse até ele. (Daniel 10:12-13 - ENTÃO ME DISSE: NÃO TEMAS, DANIEL, PORQUE DESDE O PRIMEIRO DIA EM QUE APLICASTE O TEU CORAÇÃO A COMPREENDER E A HUMILHAR-TE PERANTE O TEU DEUS, SÃO OUVIDAS AS TUAS PALAVRAS; E EU VIM POR CAUSA DAS TUAS PALAVRAS.  -  MAS O PRÍNCIPE DO REINO DA PÉRSIA ME RESISTIU VINTE E UM DIAS, E EIS QUE MIGUEL, UM DOS PRIMEIROS PRÍNCIPES, VEIO PARA AJUDAR-ME, E EU FIQUEI ALI COM OS REIS DA PÉRSIA.)

MAS ENTÃO O QUE FAZER?

Vamos refletir uma história para entendermos melhor o silencio de Deus:

Conta uma antiga lenda norueguesa acerca de um homem chamado Haakon, encarregado de cuidar de uma capela na qual havia uma cruz muito antiga, na qual muita gente ia para orar com muita devoção a Cristo.
Um dia o ermitão Haakon, ajoelhou-se diante da cruz e disse: Senhor, quero padecer por ti. Deixa-me ocupar teu lugar, quero substitui-lo na cruz.
O Senhor abriu seus lábios e falou. Suas palavras caíram do alto, sussurrantes e admoestadoras:
— Amado filho, concedo teu desejo, mas tem de ser com uma condição.
— Qual, Senhor? – perguntou Haakon.
— É uma condição difícil? Estou disposto a cumpri-la com tua ajuda, Senhor! – respondeu o velho ermitão.
— Escuta: aconteça o que acontecer e vejas o que vejas, terás de permanecer sempre em silêncio.
Haakon respondeu: — Sim, eu prometo, Senhor! E foi feita a mudança.
Ninguém percebeu a mudança. Ninguém reconheceu o ermitão, pregado na cruz. O Senhor ocupava o lugar de Haakon. E este, por longo tempo, cumpriu o compromisso. A ninguém disse nada.
Mas um dia, chegou um rico e ao sair depois de ter orado, esqueceu sua carteira. Haakon o viu e calou. Duas horas depois veio um pobre, viu a carteira e ficou com ela. Tampouco disse nada quando um garoto se prostrou diante dele pouco depois, para pedir-lhe sua bençao antes de empreender uma longa viagem.
Nesse momento o rico voltou em busca de sua carteira. Ao não encontra-la, pensou que o garoto havia se apropriado dela. O rico se dirigiu ao jovem e disse acusadoramente:
— Dá-me a carteira que você me roubou! O jovem, surpreendido, replicou:
— Não roubei nada!
— Não mintas, devolva imediatamente!
— Repito que não peguei nenhuma carteira! – afirmou o garoto. O rico investiu furioso contra ele. Mas, nesse instante, se escutou uma forte voz: Pare!
O rico olhou para cima e viu que a imagem lhe falava.  Haakon, que não pode permanecer em silêncio, gritou, defendeu o jovem, repreendeu o rico pela falsa acusação. O rico ficou desanimado e saiu da capela. O jovem saiu também porque tinha pressa para empreender sua viagem.
Quando a capela ficou vazia, Cristo se dirigiu ao seu servo e lhe disse: — Saia da Cruz. Não serves para ocupar meu lugar. Não soube guardar silêncio.
— Senhor – disse Haakon – Como ia permitir essa injustiça?
Mudaram de novo de lugar.  Jesus ocupou a cruz de novo e o ermitão ficou ali de pé.
O Senhor seguiu falando: — Tu não sabias que ao rico lhe convinha perder a bolsa, pois levava nela o preço da virgindade de uma jovem mulher. O pobre, pelo contrário, tinha necessidade desse dinheiro e fez bem em levá-lo; quanto ao garoto que ia ser espancado, suas feridas tivessem impedido de realizar a viagem que para ele resultaria fatal. Neste momento acaba de partir-se o barco e ele perdeu a vida. Tu não sabias nada. Eu sim. Por isso calo. “E o Senhor novamente guardou silêncio."

MAS ENTÃO O QUE FAZER? A SEGUIR APRESENTO ALGUMAS ATITUDES QUE DEVERÃO SER DESENVOLVIDAS DIANTE DA AUSÊNCIA DA RESPOSTA DIVINA:

INSISTÊNCIA  

Salmo 13:3 - ATENDE-ME, OUVE-ME, Ó SENHOR MEU DEUS; ILUMINA OS MEUS OLHOS PARA QUE EU NÃO ADORMEÇA NA MORTE.

Aparentemente, o salmista não havia obtido uma resposta de Deus diante do seu problema ocasional, mas continua insistindo diante dEle.

Mas seja qual for à aflição, o salmista levava consigo duas realidades explícitas: a consciência da existência de Deus e a do inimigo ou aflição vivida naquele momento. Assim, na sua oração ele percebe a necessidade primordial de continuar insistindo.  

Salmo 13:3-4 - ATENDE-ME, OUVE-ME, Ó SENHOR MEU DEUS; ILUMINA OS MEUS OLHOS PARA QUE EU NÃO ADORMEÇA NA MORTE; -  PARA QUE O MEU INIMIGO NÃO DIGA: PREVALECI CONTRA ELE; E OS MEUS ADVERSÁRIOS NÃO SE ALEGREM, VINDO EU A VACILAR.

Nestes versículos, percebemos três insistências distintas do salmista:

v       Insistência na oração,
v       Insistência no clamor e
v       Insistência no propósito.

Ao perceber estas realidades, a realidade de Deus e a realidade da sua aflição, ele começa a se apegar a Deus.  

Certa ocasião, Jesus contou uma parábola dando-nos exemplo de como deve ser nossa atitude diante de Deus, e nesta parábola Ele nos ensina acerca da insistência.   

Lucas 18.1-8 - Jesus nos mostra claramente que é um dever orar sempre, e sem desfalecer. Como nos retrata a parábola, aquele juiz era iníquo, não temia a Deus e nem respeitava os homens. Mas, mesmo sabendo disso, a viúva piedosa e virtuosa insistia para que ele julgasse com justiça a sua questão. Aquele juiz iníquo temeu diante desta viúva piedosa; de tanto ser incomodado por ela, acabou por fazer justiça, julgando a sua causa honestamente.

Jesus levanta a seguinte questão: Se um juiz injusto e ímpio faz justiça diante da insistência de uma viúva piedosa, quanto mais Deus, o Justo Senhor, fará justiça aos seus piedosos escolhidos que clamam a Ele dia e noite. Portanto, faz-se necessário insistir na oração.  

O salmista percebe a realidade de Deus, mas lhe parece que o Senhor não lhe responde quando ele ora expondo, diante do trono da graça, a sua aflição. Mas ele continua insistindo e implorando ao Senhor uma resposta para seu sofrimento.   Mesmo consciente de que o Senhor está presente e é uma realidade, embora não responda à sua oração, ele expõe diante de Deus o seu propósito.

Este propósito deve ser seguido por nós, embora nos pareça que o Senhor não tenha respondido nossa oração.  Então, a única alternativa para o servo é continuar crendo no Senhor, clamando e insistindo na oração. 

DEPENDÊNCIA 

Salmo 13:5 - “MAS EU CONFIO NA TUA BENIGNIDADE; NA TUA SALVAÇÃO SE ALEGRARÁ O MEU CORAÇÃO”.

Observe nestes versículos atitude crucial a qualquer cristão. Ainda que não tivesse obtido a resposta de Deus, o salmista se aproxima diante dEle de uma forma respeitosa e está muito consciente de que é dependente em Deus e de que não pode reivindicar nada do Senhor, apenas colocar seu desejo e sua aflição.

A sua dependência é tríplice neste verso:

v       Depende da Palavra de Deus,
v       Depende da graça de Deus,
v       Depende da alegria da salvação.  

Sabe aqueles momentos difíceis que às vezes vivemos e nos quais já tínhamos esgotado todas as nossas forças e alternativas? Eu percebo aí uma alternativa de suma importância, a da dependência da Palavra de Deus. Mesmo que o Senhor não tenha respondido ao nosso coração, às nossas indagações, Ele tem todas as respostas aos nossos problemas na sua Palavra escrita, são inúmeras as promessas de Deus para nós e que estão escritas na Bíblia.

O Salmista observa que melhor atitude era a dependência da graça de Deus. E nesse momento de turbulência, orar ao Senhor expressando sua confiança na graça divina é o mesmo que dizer: “EU NÃO SOU DIGNO DE RECEBER NADA DE TI, TU DECIDES SE CONCEDES OU NÃO O QUE DESEJA O MEU CORAÇÃO, MAS CREIO QUE, SE QUISERES, PODERÁS SER GRACIOSO DANDO-ME O QUE NÃO MEREÇO”. Percebemos assim que a atitude do salmista era de dependência da graça.

Concluímos, então, que nossos problemas não podem tirar a alegria de nossa salvação. Nestes momentos de turbulência, a melhor atitude é alegrar-nos porque outrora éramos escravos de Satanás, mas o Senhor nos salvou; aconteça o que nos acontecer, esta alegria deve explodir em nosso coração, ocupando todas as nossas faculdades mentais, espirituais e intelectuais.   Mesmo que as situações nos sejam adversas, cumpre-nos depender inteiramente da Palavra de Deus. A nossa atitude deve ser: depender e crer. Mesmo que nos pareça o Senhor ter se ausentado de nós, a nossa única alternativa é a dependência de sua palavra, de sua graça; não podemos, de forma alguma, esquecer que somos do Senhor e isto já nos é suficiente.   

COMPROMISSO  

Salmo 13:6 – “CANTAREI AO SENHOR, PORQUANTO ME TEM FEITO MUITO BEM”.

O salmista não tinham uma compreensão completa acerca dos planos de Deus como nós, uma vez que a revelação de Deus foi progressiva; percebo, porém, que a intimidade a qual eles tinham com o Senhor era muito mais eficiente.  

O salmista faz um compromisso de servir e adorar ao Senhor. Ele diz: “cantarei ao Senhor”. O salmista Davi era músico, e era visto como um fiel adorador, mas, mesmo sem obter a resposta à sua oração, ele se compromete fielmente em cantar ao Senhor.

É o compromisso de servir e adorar ao Senhor. Se perguntássemos a nós mesmos se temos nos comprometido com o Senhor à medida que Ele não concede o que desejamos, qual seria nossa resposta?   Como é comum a atitude de comprometer-se com o Senhor diante das circunstâncias, o salmista continua fazendo promessas ao Senhor: “porquanto me tem feito muito bem”. Ele não se concentrou apenas na solução do problema para o qual vivia ansioso por receber a bênção. Ele focalizou sua atenção no passado, nos momentos em que o Senhor o abençoou segurando-o pela mão, e até concedendo os desejos do seu coração.

Ele entende que o Senhor está no controle de tudo e é o único que dirige a História, não escapando nada aos seus olhos; como Ele é soberano, sabe tudo o que as pessoas fazem e pensam: Daniel 4:35 -  TODOS OS MORADORES DA TERRA SÃO POR ELE REPUTADOS EM NADA; E, SEGUNDO A SUA VONTADE, ELE OPERA COM O EXÉRCITO DO CÉU E OS MORADORES DA TERRA; NÃO HÁ QUEM LHE POSSA DETER A MÃO, NEM LHE DIZER: QUE FAZES?”.

Este entendimento era primordial para o salmista, visto que é de suma importância sabermos que o Senhor está no controle da situação e reina quando nos sentimos fracos e impotentes.   Assim sendo, mesmo que não percebamos a ação de Deus diante de nossos problemas, a nossa atitude deve ser a de compromisso com Ele, servi-Lo, adorá-Lo e perceber de antemão o quanto Ele já nos abençoou, restando-nos a única alternativa de aceitar passivamente seu senhorio sobre nossas vidas.  

CONCLUSÃO  

Habacuque 1:2 – “ATÉ QUANDO, SENHOR, CLAMAREI POR SOCORRO, SEM QUE TU OUÇAS? ATÉ QUANDO GRITAREI A TI: "VIOLÊNCIA! " SEM QUE TRAGAS SALVAÇÃO?”

Mesmo que nos pareça o Senhor ter se ausentado de nós, a nossa única alternativa é a dependência de sua palavra, de sua graça; não podemos, de forma alguma, esquecer que somos do Senhor e isto já nos é suficiente.

Habacuque 3:17, 18 – “MESMO NÃO FLORESCENDO A FIGUEIRA, NÃO HAVENDO UVAS NAS VIDEIRAS; MESMO FALHANDO A SAFRA DE AZEITONAS, NÃO HAVENDO PRODUÇÃO DE ALIMENTO NAS LAVOURAS, NEM OVELHAS NO CURRAL NEM BOIS NOS ESTÁBULOS, - AINDA ASSIM EU EXULTAREI NO SENHOR E ME ALEGRAREI NO DEUS DA MINHA SALVAÇÃO”.

Assim sendo, mesmo que não percebamos a ação de Deus diante de nossos problemas, a nossa atitude deve ser a de compromisso com Ele, servi-Lo, adorá-Lo e perceber de antemão o quanto Ele já nos abençoou, restando-nos a única alternativa de aceitar passivamente seu senhorio sobre nossas vidas. Que venhamos insistir, depender e comprometer-nos com o Senhor.

POSTAGEM MAIS ACESSADAS:

O OBREIRO E A ÉTICA NO PULPITO

O TABERNÁCULO E SUAS MEDIDAS:

EXISTEM 4 TIPOS DE TEMPERAMENTOS! VOCÊ CONHECE SEU TEMPERAMENTO?

AGEU - O PROFETA DA CONSTRUÇÃO DO TEMPLO

PASSOS DA FÉ - Marcos 11:22 - 24